Estudo explica o que determina uma boa relação entre um cão e um gato

Estudo explica o que determina uma boa relação entre um cão e um gato

O famoso ditado “se dão como cão e gato” sempre teve a conotação de um péssimo relacionamento. Alguns têm cães e querem incluir um gatinho na família, embora tenham medo do resultado dessa combinação. Mas os bichanos estão realmente fadados a se dar mal na convivência com os cachorros? Um novo estudo desmentiu essa crença e descobriu o que determina a existência de um bom relacionamento entre cães e gatos.

Hoje, o Incrível.club mostra quais são os fatores que influenciam uma boa convivência entre esses 2 animais de estimação que são, de longe, os preferidos das pessoas.

Sim, é possível uma agradável convivência entre ambos

Um novo estudo publicado no Journal of Veterinary Behavior avaliou os fatores que determinam a coexistência pacífica entre cães e gatos numa mesma casa. O trabalho foi realizado por meio de uma pesquisa online com proprietários dos 2 tipos de animais e contou com a participação de pessoas de várias partes do mundo, em um total de 748 respostas. Dessas, 86% disseram que as duas espécies conviviam sem problemas. A pesquisa conseguiu analisar em profundidade quais são os fatores que determinam a existência de um relacionamento bom ou ruim entre esses animais.

A atitude do gato determina a amizade

A principal descoberta do estudo foi que uma convivência agradável entre os 2 animais de estimação depende principalmente da atitude e da personalidade do gato. Ele é o responsável pelo fato de a relação ser amigável ou não. E existem vários fatores que constroem o comportamento do gato na casa. Se ele se sentir confortável e seguro, é provável que a convivência seja tranquila. O problema está nas situações em que ele não se sente assim. Felizmente, existem maneiras de os proprietários controlarem isso, garantindo o conforto do gatinho.

O gato agride por se sentir ameaçado

A grande maioria dos proprietários disse que o gato tinha muito mais chances de machucar o cão do que o contrário. A agressão é algo comum entre esses animais; eles podem arranhar o dono ferozmente, mesmo quando esse só quer acariciá-lo. O gato tende a ficar constantemente na defensiva, porque sente medo. Na frente do cachorro, que é grande e late alto, o gatinho se sente ameaçado e ataca para se defender.

O cão tende a ser mais tranquilo

Nas pesquisas, os donos responderam que os cães se mostraram mais calmos e brincalhões. A maioria deles não se importa em dividir a cama, enquanto os gatos se recusam a compartilhar seu espaço com outros animais. Além disso, os filhotes de cães tendem a procurar um parceiro para brincar; um em cada 5 deles incluía felinos no jogo; no entanto, só um em cada 20 gatos fez o mesmo.

As diferenças na domesticação são importantes

Os pesquisadores acreditam que a domesticação influenciou no tipo de convivência. As espécies de cães têm sido domesticadas há milhares de anos, enquanto os gatos foram domesticados há menos tempo e tendem a ser animais mais ferozes e de natureza mais selvagem. Eles chamam a atenção para o fato de que os donos devem tratar o gato com o mesmo amor destinado ao cachorro e ensinar que não se trata de enxergar o cão como uma ameaça; essa não é uma tarefa fácil, mas é possível.

O gatinho deve ser levado à casa ainda filhote

Quanto mais cedo o gatinho for apresentado à casa, mais conhecerá os espaços e, graças a isso, se movimentará com maior segurança. Ele não sentirá que alguém vai atacá-lo. De preferência, antes do primeiro ano, o felino já deve estar bem acomodado. O estudo considerou esse um fator muito forte a ser levado em consideração, embora não tivesse tanta relevância no caso dos cães.

Você tem cães e gatos morando juntos? Como é a convivência entre eles? O que acha que poderia criar um bom relacionamento entre eles? Deixe sua opinião nos comentários.

Fonte: Incrível.club

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *