Plano de saúde animal. Já pensou nisso?

Plano de saúde animal? Como assim?

Aqueles que tem como membro da família um animalzinho de quatro patas se preocupa com ele tanto quanto com qualquer ente querido sem dúvidas.

Manter um animal de estimação requer vários custos, principalmente com saúde, e alguns tratamentos podem pesar muito no bolso.

Dito isso, venho a vocês com um assunto muito interessante:

Plano de saúde animal. Já pensou nisso?

Plano de saúde animal. Já pensou nisso?

Diversas empresas e clínicas veterinárias desenvolveram planos de saúde para animais de estimação, em geral cachorros e gatos, nos mesmos moldes que os planos de saúde para humanos. Só que nem sempre vale muito a pena.

Os planos de saúde para animais são semelhantes aos planos humanos em diversos aspectos, mas o preço não chega à mesma magnitude.

Além da cobertura do plano, outros fatores que podem influenciar no preço são a raça, a idade e o porte do animal.

Com um valor abaixo de 50 reais por mês já é possível contratar um plano de saúde que inclua vacinas, consultas, atendimento de emergência e exames laboratoriais e de imagem.

Com um valor entre 100 e 200 reais mensais, dá para contratar planos top, que incluem até a acupuntura.

Pode parecer um preço bem alto, e para muitas pessoas de fato é. Mesmo valores absolutamente baixos podem ser bem enganosos, e é preciso pensar em uma série de fatores e definir prioridades antes de contratar um plano para o seu animalzinho.

O brasileiro gasta, em média, 450 reais por mês com os animais de estimação, não só gastos com saúde, como também despesas como os banhos e a alimentação. Assim, um plano de saúde de 200 reais representaria cerca de 50% deste gasto.

Confira a seguir o que se deve saber antes de contratar um plano de saúde para pets:

Plano de saúde animal. Já pensou nisso?

1. Planos de clínicas e hospitais são melhores para aqueles que tem todos os serviços necessários no local.

Há uma diferença entre planos de saúde oferecidos por hospitais veterinários e clínicas e os planos de saúde propriamente ditos.

Os primeiros não são bem planos de saúde, mas sim pacotes, que disponibilizam direitos a consultas, exames e diversos tratamentos, normalmente dentro daquela clínica ou hospital.

Mas para quem já possui um veterinário de confiança ou necessita de um especialista não oferecido no local, ter um plano desses pode não oferecer vantagem alguma.

2. Planos de saúde propriamente ditos possibilitam a escolha de um profissional.

Existem planos de saúde parecidos com os planos humanos, contando com rede credenciada de profissionais de diversas especialidades, laboratórios, hospitais e clínicas.

Alguns são regulados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Plano de saúde animal. Já pensou nisso?

3. Considere a condição de saúde do cão

Uma cirurgia simples pode sair por 4.000 reais. Em um plano de saúde, neste caso, seria realmente bastante vantajoso, pois dependendo do plano, em um ano se gasta mais ou menos 1.100 reais para ter acesso a cirurgias e muito mais mais.

Cães com saúde mais frágil, como as raças de focinho achatado podem ter planos mais caros, pois eles tem tendencia a ter problemas respiratórios. Justamente por isso é uma boa ideia considerar contratar o produto.

A saúde frágil do seu animal pode leva-lo a desenvolver doenças crônicas, de tratamento continuado.

Quem está em um “grupo de risco” também deveria pensar bem em um plano. Um exemplo disso são aqueles que tem crianças em casa e o cachorro corre o risco de engolir um brinquedo pequeno. A cirurgia de remoção pode ser pesada para o bolso.

4. Alguns planos oferecem descontos para grupos ou serviços de pet shop

Há planos que oferecem pacotes e descontos em serviços de pet shop, principalmente para quem tem vários bichinhos. Alguns também podem disponibilizar descontos em serviços como hotel, banho, tosa, transporte, cemitério, crematório e mais.

Plano de saúde animal. Já pensou nisso?

5. Fique atento às carências

Como nos planos de saúde humanos, os planos para animais também podem contar com períodos de carência para certos procedimentos.

6. Mesmo mais caro, plano permite diluir os pagamentos no tempo

Para aqueles que tem a renda regular ou não tem grande disciplina de poupança, diluir o pagamento no tempo pode ser muito interessante.

Para muita gente a vantagem de ter um plano de saúde para o bichinho não é o custo total desembolsado, mas sim a possibilidade de pagar um pouco por mês para ter serviços que, se cobrados de uma só vez, seria duro para o bolso.

Pode ser que os procedimentos mais caros não sejam (felizmente) utilizados. Todavia, esse é o princípio do seguro: pagar um pouco por mês para correr menos risco.

Contratar um plano de saúde ou fazer um seguro se torna muito vantajoso sempre que os gastos avulsos com os piores eventos cobertos forem maiores do que o pagamento regular do prêmio.

7. Preste atenção ao seu próprio seguro

Alguns seguros oferecem, como um serviço adicional, descontos em pet shops. Outros chegam a oferecer cuidados com a saúde dos animais de estimação. Mas há planos que oferecem o chamado Benefício PET, que pode ser incluído em apólices de seguro de carro e residência junto com outros serviços.

O benefício pode dar o direito a consultas veterinárias rotineiras e seus respectivos retornos em clínicas da rede credenciada para gatos e cães, por exemplo. Para quem não está disposto a pagar um plano de saúde e tiver um seguro como esses, pode valer a pena incluí-lo na sua apólice.

Plano de saúde animal. Já pensou nisso?