Pug filhote: quais cuidados precisamos ter?

0

Os pugs são cachorros incríveis e realmente surpreendentes quando falamos sobre devoção à família. Grandes companheiros dos seres humanos, eles fazem parte do time composto pelos cães mais antigos da história. Não à toa, se acostumaram muito bem com o ofício de cão de companhia, algo que desempenham extremamente bem.

Pug filhote: quais cuidados precisamos ter?

Enquanto seu temperamento só melhorou com o passar do tempo, não podemos dizer o mesmo sobre suas características físicas. O pug – assim como outras raças – foi submetido a vários “testes genéticos” e acabou ficando bem diferente de seus ancestrais. Rugas bem marcadas, focinho extremamente curto e patinha curtas às vezes podem ser um problema para esses pets.

Pug filhote: quais cuidados precisamos ter?

Cuidados com o pug filhote

Os filhotes de pug são encantadores. Muito simpáticos e sempre dispostos a agradar a família, eles são receptivos e normalmente se dão bem com qualquer um. De humanos a outros animais, o pug naturalmente recebe bem a todos, mas é claro que enquanto filhote, ele precisa passar por um bom processo de socialização. O ideal é que, quando novinhos, eles passem por diversas situações, sendo apresentados para pessoas de diferentes idades e etnias, bem como para cães, gatos e outros bichinhos.

O cuidado com sua pele é uma preocupação real. Por terem muitas rugas, eles são bem mais propensos a problemas de pele. Manter sua pele e pelos sempre secos é fundamental para a saúde. É possível fazer a manutenção das “dobrinhas” com produtos veterinários específicos ou até mesmo com panos secos. Mau cheiro nessas regiões é algo comum, mas não deve ser frequente. Por ficarem mais úmidas, não é difícil haverem questões com fungos e bactérias – algo incômodo para o pet e também para seus tutores.

Pug filhote: quais cuidados precisamos ter?

Seus olhinhos mais saltados também precisam ser limpados com frequência. Além disso, é preciso ter um cuidado redobrado com as brincadeiras e interações com outros pets, principalmente. Já que estão mais expostos, arranhões e até a úlcera de córnea são rotineiros para exemplares da raça. A exoftalmia (quando o olho “salta” para fora da órbita) pode ocorrer tanto em filhotes como em adultos. Isso normalmente é resultado de situações que envolvam pressão na região da cabeça e/ ou dos olhos. Coleira extremamente apertada sendo puxada pelo pet e até espirros podem resultar neste quadro. Se isso acontecer, procure auxílio de um médico veterinário com rapidez. Na maioria das vezes, é possível reverter o quadro.

Pugs são cães de pequeno porte e, por isso, é preciso um zelo extra quando eles decidem pular de móveis. Mantê-los dentro do peso ideal também é importante para que seus membros não sejam sobrecarregados e que eles não tenha problemas de coluna também.

Por ter um focinho bastante achatado, não é indicado que pugs façam atividades físicas intensas. Os dias de calor merecem atenção redobrada, uma vez que a hipertermia (aumento exagerado da temperatura do corpo) pode colocar a vida do pet em risco. Prefira caminhadas leves em horários em que o sol não esteja forte demais e o mantenha sempre hidratado!

Pug filhote: quais cuidados precisamos ter?

FONTE: PETLOVE

Leia também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.