Quais plantas os gatos não podem comer?

Quem tem ou já teve um gato como pet certamente sabe o quanto esses felinos são atraídos pelas plantas. Seja para desintoxicar o organismo ou apenas por prazer, não é raro que, vez ou outra, eles consumam algumas delas. É preciso, porém, cuidado ao deixá-los em contato com certas folhagens, pois muitas representam perigos à saúde dos bichanos.

Segundo a veterinária Luana Sartori, especialista da Nutrire, as ameaças estão mais próximas do que se pode imaginar. “A lista do que é tóxico é bem extensa, mas os principais itens são facilmente encontrados dentro de casa como sementes de maçã, que causam alterações na visão e na respiração”, diz. Há perigo também na uva, que pode desencadear crises renais agudas.

A lista de espécies danosas é extensa. Entre as que dão flores, estão a azaleia, espirradeira, lírio, jacinto e tulipa. Nas categorias de arbustos e trepadeiras, o cuidado deve estar, respectivamente, com o visco e a mamona, e a hera e a glicínia. Suculentas e ornamentais como a kalanchoe, babosa, comigo-ninguém-pode e espada-de-são-jorge também integram o grupo, junto com o eucalipto e a castelinha.

E são vários os problemas que essas plantas podem causar nos bichinhos. Seus efeitos podem causar doenças nos sistemas digestivo, cardíaco, respiratório e até dermatológico dos gatos. Caso afeta o sistema nervoso, pode colocar em risco a vida do animal.

Fotógrafo registra fotos hilárias de cachorros tentando pegar comida no ar

Os sintomas mais comuns em casos de intoxicação são prostração, vômito, desmaios, respiração fraca ou muito rápida e irritações na pele. Uma vez observada qualquer manifestação do tipo, “levar o animal imediatamente à clínica veterinária mais próxima é a principal [recomendação]. Também é necessário informar ao profissional o nome da planta para que os primeiros socorros sejam feitos corretamente”, informa a especialista.

Também não é indicado dar leite, água ou qualquer tipo de remédio caseiro, pois isso pode implicar em uma piora do estado de saúde do felino.

Luana explica que, independentemente do problema causado, é requerida atenção especial. “A grande questão é que as toxinas fazem com que o quadro se agrave muito rapidamente e o tempo de ação para socorrer o felino pode ser crucial nesse processo”, alerta.

O ideal, então, é se prevenir e evitar plantas em casa. “Sabemos que as folhagens deixam o jardim e os apartamentos mais bonitos, mas quando se tem gatos todo cuidado é pouco. A indicação é que os apaixonados pelos felinos optem pelas flores artificiais”, finaliza.

Leia também: Três dias após ser arrastada por chuva no Rio, cadela é encontrada

Fonte: Meu Querido Pet

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *