Um jogador de futebol americano caiu em depressão e seu time adotou uma cadelinha como apoio emocional

0

Um jogador de futebol americano caiu em depressão e seu time adotou uma cadelinha como apoio emocional

Os problemas de saúde mental podem afetar qualquer pessoa. Foi o caso de um jogador de futebol americano chamado Solomon Thomas, que entrou em depressão após a perda de sua irmã e, ao adotar com sua equipe uma adorável buldogue francesa chamada Zoë, encontrou apoio emocional.

Incrível.club pesquisou a história do jogador e como Zoë apareceu em sua vida, como mascote da equipe do San Francisco 49ers, fazendo história como o primeiro cão de apoio emocional a se juntar à NFL, a liga profissional de futebol americano.

A dor de Thomas pela perda de uma pessoa querida

Salomão Thomas tinha uma irmã a quem considerava a luz de sua vida. No entanto, apesar de refletir uma personalidade forte, por razões circunstanciais ela acabou com a própria vida.

O jogador da equipe do San Francisco 49ers passou por um período de depressão após essa trágica perda. A morte de sua irmã o afetou tanto que ele começou a participar de atividades relacionadas à prevenção do suicídio, incentivando as pessoas a compartilharem sua dor e a pedirem ajuda.

O cachorro que motivou a adoção de Zoë

Meses após o suicídio da irmã de Thomas, a equipe participou de um acampamento em que conviveram com um buldogue francês chamado Vito. Thomas gostava do filhote e se sentia relaxado toda vez que brincava com ele.

O técnico da equipe, Austin Moss, a pedido de Thomas e vendo como ele se dava com Vito, decidiu adotar uma filhote de buldogue francês a quem chamou de Zoë. Em pouco tempo, a cachorrinha se tornou uma figura importante para acalmar a ansiedade dos jogadores, especialmente Thomas.

O impacto de Zoë na vida de Thomas

Para Solomon Thomas, a presença de Zoë nas instalações de treinamento foi essencial para sair da depressão. A cachorra é capaz de interpretar seu humor e, cada vez que o jogador entra no local, corre diretamente até ele para lhe fazer companhia.

Toda vez que Zoë ouve as portas se abrirem, corre para receber o time na porta do escritório de Moss. É nesses momentos que Thomas a vê e se aproxima para abraçá-la. Para o jogador, cerca de 10 ou 15 minutos brincando com ela são suficientes para se recuperar completamente de seu dia intenso.

Thomas promoveu a conscientização sobre saúde mental em sua conta no Twitter, sem esquecer as campanhas de prevenção ao suicídio, com o apoio de sua família.

O primeiro cão de apoio emocional da NFL

Desde sua adoção, Zoë se tornou o primeiro animal de apoio emocional a fazer parte da NFL, contribuindo para elevar o astral dos 49ers, aliviando os atletas do estresse causado antes e depois de cada jogo.

Em um ambiente tão competitivo, no qual os jogadores refletem dureza em sua personalidade, a presença de uma cachorrinha faz com que esses homens “duros” relaxem e convivam em um ambiente mais alegre.

À noite, a cadelinha vai embora com Moss e, quando a equipe está fora, passa a maior parte do tempo descansando nas instalações de treinamento localizadas perto do Estádio Levi, em Santa Clara, Califórnia.

A cachorrinha que cativou o mundo do esporte na Internet

No Instagram, Zoë ganha o coração de seus seguidores e fãs do futebol americano. A conta é administrada por Moss. O diretor-técnico posta imagens da cadelinha que vive com os jogadores da equipe, incluindo Solomon Thomas, que é visto em algumas fotos.

Atualmente, a cachorrinha tem certificado como mascote de apoio emocional e, em breve, começará seu treinamento como animal de apoio para prestar seus serviços a hospitais, asilos e outras instituições.

Você acha que um animal de estimação é a melhor terapia contra a depressão e a ansiedade? Que outras maneiras de tratar essas doenças mentais você conhece? Deixe-nos seus comentários.

Fonte: Incrível.club

Leia também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.